Controlar a televisão com a mente? É possível e a Samsung está a trabalhar nesse campo

Controlar a televisão com a mente? É possível e a Samsung está a trabalhar nesse campo

A Samsung parece estar a trabalhar no sentido de tornar real esta vontade e tem já resultados para apresentar. Muito em breve poderá controlar a sua televisão com a mente.

Foi durante a sua conferência anual de programadores que a Samsung revelou mais informações sobre os trabalhos que tem feito no Projeto Pontis, ao abrigo de uma parceria que tem com a Escola Politécnica de Lausanne.

Em concreto, foi apresentado um protótipo já funcional de um dispositivo que permite controlar remotamente, com recurso às ondas cerebrais, uma televisão.

Composto por 64 sensores, este sistema consegue captar as ondas cerebrais que originam os comandos e transforma-os em ações concretas, que interagem com a televisão, permitindo mais que o normal controlo de volume ou de canais. Este sistema permite interagir com toda a interface das smart TVs da marca.

Por agora é ainda usada a interação com um sistema de leitora ocular, que apoia os sistemas de interpretação cerebral, mas a ideia deste projeto é dispensar este componente.

O problema maior que tem sido encontrado está nas diferenças das ondas cerebrais de cada utilizador, devendo o controlo conseguir adaptar-se a estas situações e aprender os comandos de cada utilizador.

Por agora há ainda uma pouca usabilidade, uma vez que requer a utilização de um capacete específico e todos os sensores, como pode ser visto nas imagens.

A ideia da Samsung é colocar o Projeto Pontis em testes já no próximo ano, nos hospitais onde doentes com limitações graves de movimentação vão poder interagir de forma mais facilitada.

Foi ainda revelado que este não será um produto comercial e que será dedicado a utilizador com mobilidade reduzida e que necessitam de apoio constante mesmo nas ações mais básicas.

O Projeto Pontis está ainda longe de ser um produto finalizado, mas mostra bem já o seu potencial futuro, onde irá ajudar em áreas onde hoje ainda não existe qualquer solução.